qui, 18 de janeiro de 2018, 1:22 pm
Mercado de orgânicos nos EUA: quando os olhos e os CIFRÕES crescem

Mercado de orgânicos nos EUA: quando os olhos e os CIFRÕES crescem

Imagina só: uma cadeia de produção de alimentos que rende bilhões de dólares ao ano, cifrões e mais cifrões movimentando um dos maiores mercados mundiais. Não alguns poucos bilhões não: estamos falando de quase meia centena. E mais: tendo como base frutas e hortaliças, sem uso de agrotóxicos, com uma massiva propaganda favorável, que enfatiza a saúde. Atrai ou não muita atenção? Estamos falando de uma briga bilionária travada entre produtores orgânicos nos Estados Unidos, de um lado, e produtores que usam o sistema de hidroponia e aquaponia, de outro. Semana passada esses últimos obtiveram a manutenção da permissão de usarem o selo de “orgânico” para seus produtos, e assim a permanência nesse apetitoso mercado.

Os dados ainda estão rolando: a votação foi apertada, oito votos a favor e sete contra da manutenção, realizada pelo Comitê Nacional de Padrões Orgânicos, que dita as regras sobre alimentos que podem ser chamados de orgânicos e como podem ser produzidos, órgão este que pertence ao Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, que dá lastro ao selo de orgânico (abaixo).

De um lado, indignação e desânimo dos produtores orgânicos, pela construção, há décadas, do respeito e aceitação de seus produtos pela população. No entanto, é mais que isso: trata-se do conceito do que é orgânico, que traz todo um universo de conservação do solo, dos microorganismos, do ambiente, dos recursos naturais e da saúde humana e do planeta, no seu sentido mais lato.

De outro, a inclusão de sistemas produtivos que usam insumos orgânicos, mas prescindem do principal: da terra, nela e para ela, agora no sentido de Terra, planeta, sua grande aliada.

Façamos um aparte: o que é hidroponia? Nesse sistema, as plantas são cultivadas por meio de uma solução aquosa de nutrientes, e não terão contato com a terra. Da mesma maneira, temos o sistema aquapônico, combinando a técnica de hidroponia com a criação de peixes. Alega-se que ambos, hidroponia e aquaponia usam fertilizantes orgânicos, reduzindo bastante o uso de agrotóxicos e de água, sendo alternativa viável para quem não tem áreas disponíveis, como aquelas próxima às cidades (abaixo).

Fazendo parte das argumentações, são colocadas duas situações provocativamente antagônicas: a da “velha” escola dos produtores orgânicos contraposta a uma visão mais inovadora, inclusiva, de técnicas que usam insumos orgânicos, e querem fazer parte da “tchurma”, ou melhor, do selo com o lastro oficial estadunidense.

Por fim, a “cereja do bolo”, ou seja, os números: em 2013, as vendas globais de alimentos e bebidas orgânicas atingiram 72 bilhões de dólares, com a Europa e os Estados Unidos no comando de 90% das vendas do mundo.

Mas o consumo de produtos orgânicos tem ganhado cada vez mais adeptos nos Estados Unidos, onde tem crescido de forma significativa e consistente no país por mais de uma década: o segmento duplicou desde 2007, quando as vendas orgânicas estavam abaixo de 20 bilhões de dólares; em 2016 chegou-se ao patamar de cerca de 47 bilhões de dólares, um avanço de mais de 8% ante o ano de 2015 (Associação do Comércio Orgânico, EUA).  Frutas e vegetais estão entre os mais consumidos dentro desse segmento, além de carnes e aves, estes movimentando a cifra de 991 milhões de dólares também em 2016.

OUTROS ARTIGOS DE ELIANA CORRÊA AGUIRRE DE MATTOS

A ANTROPOSOFIA DE RUDOLF STEINER

COMPREI UM NOVO NOTEBOOK. O QUE FAÇO COM O ANTIGO? (2)

COMPREI UM NOVO NOTEBOOK. O QUE FAÇO COM O ANTIGO?

OBSERVANDO A NATUREZA: TUDO AO SEU TEMPO

ESTÁTUAS DA ILHA DE PÁSCOA, OBRAS DE HUMANOS OU ET’S

MAPAS, CÓLERA E SIG’S

EM ALGUM LUGAR NA ÍNDIA

PESQUISAS, FOMENTO, PEQUENAS EMPRESAS E MELHORIAS AMBIENTAIS

FRAGILIDADE AMBIENTAL: O CASO DA ILHA DE PÁSCOA

ALIMENTOS ORGÂNICOS E NATURAIS NÃO SÃO A MESMA COISA?

O HIPOPÓTAMO E A PERIGOSA EXPOSIÇÃO AOS AGROTÓXICOS

MODAS CAIPIRAS PARA COMEMORAR O DIA DO AGRICULTOR

MAS O QUE É ESSA TAL DE CERTIFICAÇÃO AMBIENTAL?

OS PAMPAS E A CAMPANHA DA FRATERNIDADE DESTE ANO

ÁGUA E ÁRVORES, A PARCERIA QUE GERA VIDA

A SAÚDE E OS AGROTÓXICOS: UM POUCO DE HISTÓRIA

A meu ver, são muitos e muitos cifrões que atraem a cobiça e toda a sorte de argumentações, até mesmo bem orquestradas e de fácil apelo junto à população. No entanto, a premissa inicial está errada: hidropônicos e aquapônicos usam sistema de produção diverso do orgânico. Não são equiparáveis.

É como você olhar tomates que venham da hidroponia, do cultivo tradicional, do orgânico. Talvez sejam todos muito semelhantes. Mas a aparência não os faz iguais, de forma alguma. Se pelas leis do mercado os querem fazê-los iguais, para aproveitar a onda milionária, ops, bilionária da demanda crescente, aí é outra história, né? Da carochinha, ouso observar. Mas temo que nesse assunto não haja espaço para contos de fadas.

Talvez os produtores orgânicos tenham mesmo que arregaçar novamente as mangas, ir para “as tabelas” e se recriar, sem perder suas raízes, profundas como as que um alimento verdadeiramente orgânico nos oferece.


ELIANA CORRÊA AGUIRRE DE MATTOS

Engenheira agrônoma e advogada, com mestrado e doutorado na área de análise ambiental e dinâmica territorial (IG – UNICAMP). Atuou na coordenação de curso superior de Gestão Ambiental, consultoria e certificação em Sistemas de Gestão da qualidade, ambiental e em normas de produção orgânica agrícola.

 

 

CRÉDITOS

Foto principal: montagem da autora

Foto selo: http://bit.ly/2jjsDeZ

Foto cultivo hidropônico: http://bit.ly/2AAWi7D

Comente!
  • Termos e condições para publicação de comentários de leitores

    O presente termo tem como objetivo informar as condições para a publicação de comentários em murais e matérias jornalísticas no site Jundiaí Agora, na forma que se passa a expor:

    É vetada a publicação de comentários que:

    • sejam falsos ou infundados;
    • invadam a privacidade de terceiros ou manifestamente os prejudique;
    • promovam racismo contra grupos de minorias ou qualquer forma de fanatismo político ou religioso, discriminando grupos de pessoas ou etnias;
    • violem direitos de terceiros, tais como direitos de propriedade intelectual;
    • tenham conotação publicitária, promocional ou de propaganda, ou, ainda, que demonstrem preferência por alguma empresa ou marca(banners publicitários, vendas on-line, etc);
    • promovam discriminação de qualquer natureza;
    • incitem à violência;
    • explorem medo ou superstição;
    • se aproveitem da deficiência de julgamento e inexperiência das crianças;
    • desrespeitem valores ambientais;
    • apresentem linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
    • promovam “correntes” ou “pirâmides” de qualquer espécie;
    • violem a legislação pátria.
    • calúnia, difamação, injúria, ofensa, perturbação da tranquilidade alheia, perseguição, ameaça ou violação de direitos de terceiros;
    • propaganda política para candidatos(partidos ou coligações) e propaganda de seus órgãos ou representantes;
    • páginas e arquivos criptografados/ protegidos por senhas;
    • programas/arquivos que contenham vírus ou qualquer outro código que ponha em risco arquivos;
    • programas ou componentes de computador de usuários que venham a acessar a página do Jundiaí Agora;
    • Todo tipo de pirataria, inclusive de software;
    • O usuário não poderá utilizar-se dos serviços do site desviando a finalidade dele para cometer qualquer atividade ilícita.

    A Rapha.com reserva-se o direito de despublicar (retirar do site) os comentários que não atendam aos padrões sociais, culturais e éticos que regem a matéria.

    Fica estabelecido que o autor do comentário é inteiramente responsável pelo conteúdo nessa havido, quer perante a Rapha.com, quer perante terceiros.

    As opiniões expostas nos comentários não representam as opiniões da Rapha.com/Jundiaí Agora.

    A Rapha.com não se responsabiliza por qualquer dano advindo dos comentários publicados.
    Os usuários do site Jundiaí Agora concordam com as regras contidas neste termo, e desde já autorizam a sua publicação, inclusive nas redes sociais, estando cientes, ainda, que os comentários poderão ser indexados em buscadores nacionais e internacionais, assim como os conteúdos a que estão vinculados.

    Comente!
  • Termos e condições para publicação de comentários de leitores

    O presente termo tem como objetivo informar as condições para a publicação de comentários em murais e matérias jornalísticas no site Jundiaí Agora, na forma que se passa a expor:

    É vetada a publicação de comentários que:

    • sejam falsos ou infundados;
    • invadam a privacidade de terceiros ou manifestamente os prejudique;
    • promovam racismo contra grupos de minorias ou qualquer forma de fanatismo político ou religioso, discriminando grupos de pessoas ou etnias;
    • violem direitos de terceiros, tais como direitos de propriedade intelectual;
    • tenham conotação publicitária, promocional ou de propaganda, ou, ainda, que demonstrem preferência por alguma empresa ou marca(banners publicitários, vendas on-line, etc);
    • promovam discriminação de qualquer natureza;
    • incitem à violência;
    • explorem medo ou superstição;
    • se aproveitem da deficiência de julgamento e inexperiência das crianças;
    • desrespeitem valores ambientais;
    • apresentem linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
    • promovam “correntes” ou “pirâmides” de qualquer espécie;
    • violem a legislação pátria.
    • calúnia, difamação, injúria, ofensa, perturbação da tranquilidade alheia, perseguição, ameaça ou violação de direitos de terceiros;
    • propaganda política para candidatos(partidos ou coligações) e propaganda de seus órgãos ou representantes;
    • páginas e arquivos criptografados/ protegidos por senhas;
    • programas/arquivos que contenham vírus ou qualquer outro código que ponha em risco arquivos;
    • programas ou componentes de computador de usuários que venham a acessar a página do Jundiaí Agora;
    • Todo tipo de pirataria, inclusive de software;
    • O usuário não poderá utilizar-se dos serviços do site desviando a finalidade dele para cometer qualquer atividade ilícita.

    A Rapha.com reserva-se o direito de despublicar (retirar do site) os comentários que não atendam aos padrões sociais, culturais e éticos que regem a matéria.

    Fica estabelecido que o autor do comentário é inteiramente responsável pelo conteúdo nessa havido, quer perante a Rapha.com, quer perante terceiros.

    As opiniões expostas nos comentários não representam as opiniões da Rapha.com/Jundiaí Agora.

    A Rapha.com não se responsabiliza por qualquer dano advindo dos comentários publicados.
    Os usuários do site Jundiaí Agora concordam com as regras contidas neste termo, e desde já autorizam a sua publicação, inclusive nas redes sociais, estando cientes, ainda, que os comentários poderão ser indexados em buscadores nacionais e internacionais, assim como os conteúdos a que estão vinculados.

    Comente!